ENCENAÇÃO DA FUNDAÇÃO DA VILA DE SÃO VICENTE

 

O MAIOR ESPETÁCULO EM AREIA DE PRAIA DO MUNDO

 
Em sua 36ª edição, a Encenação da Fundação da Vila de São Vicente tornou-se uma tradição cultural e um dos eventos mais aguardados do calendário vicentino. Reconhecido pelo Guinness Book, como o maior espetáculo em areia de praia do mundo, o evento é realizado majoritariamente por munícipes e conta com a participação de convidados especiais que representam figuras de destaque na história da fundação da Vila.
A cada ano o desafio de contar a mesma história de maneiras diferentes é superado pelo talento e a criatividade de todos os envolvidos. E por falar nisso, não podemos deixar de citar alguns números, na edição de 2018 foram sete dias de apresentações, 1,2 mil pessoas envolvidas e mais de 48 mil telespectadores.
A 36ª edição ficou marcada pela divisão do protagonismo na narrativa da história, ao contrário dos anos anteriores em que Martim Afonso de Souza, o fundador da Vila de São Vicente é o único a mostrar sob sua ótica a sua chegada as terras brasileiras e o contato com os indígenas, nesta edição a voz que se destaca é de André de Soveral, primeiro mártir brasileiro. Soveral nasceu em 1572, em São Vicente, foi batizado e tornou-se padre na Igreja Matriz, posteriormente sendo morto em 1645, no Rio Grande do Norte durante a invasão Holandesa.
Para contar essa história foram convidadas personalidades de destaque em diversos segmentos do entretenimento como: André Coelho, participante de diversos realities shows, entre eles o Big Brother Brasil (13), como Martim Afonso; a atriz, repórter e apresentadora, Íris Stefanelli vive Ana Pimentel. O papel de maior evidência desta edição ficou para o ator global, Felipe Dimas como Padre André de Soveral e Thammy Miranda, fazendo o papel de um soldado Holandês. Já para interpretar a personalidade de grande apelo popular na Cidade, a vencedora do concurso de 2009 para viver esse personagem, Marissol Dias, vem se perpetuando no papel de índia Bartira.
O espetáculo acontece sempre durante a semana de aniversário da Cidade, 22 de janeiro e tem ingressos vendidos a preço populares.

 

 

 
A Chegada dos portugueses vista por outros núcleos
Em 2018 podemos dizer que ouve um olhar atento sobre a mudança de foco para a narração da história, não somente mostrando como o Padre Soveral notava as condições da chegada da frota portuguesa as praias vicentinas, mas dando voz e vida a núcleos até então não citados. Nesta edição, foi possível mostrar o olhar do povo cigano e todo o lado cultural carregado por eles há milênios, assim como dos africanos que sem escolha eram submetidos a viagens às terras desconhecidas sem ter escolha alguma.
Artistas da cidade também foram convidados para pintarem quadros durante o espetáculo sobre temas pertinente ao enredo e fazendo alusão ao Benedicto Calixto, morador ilustre de São Vicente. O tenor Ezio Bonini engrandeceu ainda mais o espetáculo ao finalizar a Encenação de 2018 com a canção Aleluia.